Menu

Volta do feriadão gera congestionamentos nas principais rodovias do Paraná

O fluxo de veículos aumentou consideravelmente em algumas rodovias do Paraná no início da tarde desta segunda-feira (21), quando milhares de motoristas começaram a voltar do feriado prolongado de Páscoa e Tiradentes. Cerca de 60 mil carros passaram pela BR-277 até o final da noite desta segunda-feira. A rodovia que liga Curitiba ao interior do estado,também foi registrado congestionamento no km 10 da BR-277, nas proximidades de Morretes, por conta das obras de um viaduto. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a fila de veículos teve oito quilômetros por volta das 13h desta segunda. Vários acidentes também foram registrados em todo o estado. No acidente que foi registrado na BR 369, entre Bandeirantes e Andirá, norte do estado, sete das oito pessoas mortas no acidente da BR-369 eram mulheres, segundo informou às 14h desta segunda-feira (21) o Instituto Médico Legal (IML) de Jacarezinho. Entre elas, encontra-se uma adolescente de 13 anos. As vítimas foram identificadas como Ellen Ruth dos Santos Barros; Gilvania Serafim Ferreira; Nair Farias Ferreira; Tainá de Oliveira Pires; Erony de Souza Lima; Antônia Luíza de Camargo; André Vinícius dos Santos; e Ana Paula Nascimento de Oliveira. Todos eram moradores do estado de São Paulo. A Polícia Civil também atualizou para 22 o número de feridos na ocorrência. O acidente - tombamento de um ônibus de turismo - aconteceu por volta das 2h desta segunda no km 52 da rodovia, entre os municípios de Bandeirantes e Andirá (Norte do Paraná). O motorista do ônibus que tombou contou aos bombeiros de Bandeirantes que perdeu o controle do veículo em uma curva após o registro de falhas nos freios. A Polícia Civil de Bandeirantes abriu inquérito para apurar se houve falha mecânica ou humana. O tacógrafo foi apreendido pela Perícia para determinar a velocidade exata no momento do acidente. A polícia também pretende ouvir os passageiros sobreviventes e já liberados dos hospitais.

Compartilhe:

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

O caso do transporte público procopense

Na manhã desta quarta-feira, estiveram em entrevista ao Informativo 376, pela Graúna FM, O presidente da Câmara Municipal de Cornélio Procópio, Edmar Gomes Filho, e os vereadores Vanildo Sotero, Pirulito e Angélica Houshnask no qual debateram com a população a respeito da possível municipalização do transporte coletivo de Cornélio Procópio. Acompanhe no vídeo de hoje sobre o caso.

Compartilhe:

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

André Vargas manda duros recados ao PT e ameaça contar o que sabe sobre Gleisi e Paulo Bernardo

Soltando a voz – Deputado federal pelo Paraná e vice-presidente licenciado da Câmara dos Deputados, o petista André Vargas não está disposto a seguir o caminho que leva ao matadouro sem luta. Depois de muitos serviços prestados ao Partido dos Trabalhadores, Vargas está revoltado com a forma como vem sendo tratado pelos companheiros de legenda.

Aos amigos o parlamentar tem dito que exigirá que lideranças do partido demonstrem solidariedade publicamente."Estou sendo tratado como se fosse o único pecador em meio a uma legenda angelical de querubins e serafins", desabafou o deputado a um amigo. André Vargas, que já foi secretário nacional de Comunicação do PT e, nessa posição, prestou muitos serviços (sujos) a deputados, senadores e cartolas do partido, que hoje o apedrejam, tem muita munição e já dá sinais que não deixará a sua degola avançar de forma impune: "Me aguardem", tem declarado o petista.

A indignação maior de André Vargas é com a incompetente senadora Gleisi Hoffmann, de quem é o coordenador da campanha ao governo do Paraná, e Paulo Bernardo da Silva, atual ministro das Comunicações e marido da ex-chefe da Casa Civil. O ainda deputado petista foi coordenador da campanha de Paulo Bernardo à Câmara Federal.

O que mais revolta Vargas é que por comandar a campanha de Paulo Bernardo, em 1998, acabou como alvo de conturbado processo judicial por lavagem de dinheiro. Coincidência ou não, o dono da lavanderia financeira da época era Alberto Youssef, doleiro preso recentemente pela Polícia Federal na esteira da Operação Lava-Jato. "Agora esses dois (Bernardo e Gleisi) estão fingindo que não me conhecem. Se for preciso vou refrescar a memória deles", afirmou.

Não é só a falta de solidariedade que tem deixado André Vargas indignado. Ele identificou inúmeros sinais de que seu calvário político resultou do chamado "fogo amigo". Identificado com o "volta Lula", Vargas teria se tornado um alvo para setores do PT leais à presidente Dilma Rousseff. A ideia dos palacianos era detoná-lo como um exemplo do que os demais filiados ao partido não deveriam fazer. O que os autores da operação não contavam era com a dimensão do escândalo, que acabou se voltando contra todo o PT e a própria Dilma.

Também não contavam com a reação de André Vargas. Encurralado e sem nada a perder, transformado em pária político e vendo-se obrigado a mandar pelos ares a carreira política, o deputado petista é uma ode ao perigo. Correndo o risco de ser condenado por corrupção e acabar no Complexo Penitenciário da Papuda, com direito a erguer o punho cerrado, Vargas não descarta a possibilidade de se transformar em mais um homem-bomba dentro do PT. Ele sabe demais e tem pouca estrutura psicológica para suportar silenciosamente a pressão decorrente de rumoroso escândalo de corrupção.

Via UCHO INFO

Compartilhe:

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google BookmarksSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn
Assinar este feed RSS